Motorista de aplicativo é preso por assediar menina de 15 anos

Um motorista de aplicativo, que atua como professor da rede pública, foi preso após mostrar o órgão genital para uma passageira de 15 anos, que estava com o filho de 4 meses no colo durante uma corrida, na noite de quarta-feira (11), em Várzea Grande. A vítima relatou que o agressor a questionava sobre formas de ‘apimentar’ a relação sexual e ainda chegou a declarar que, ‘com a cor dela, deveria saber muita coisa’. Ele foi preso em flagrante.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela adolescente, ela estava no bairro Água Vermelha por volta das 20h com seu esposo, que acionou um motorista de aplicativo para levá-la para casa, que fica no bairro Jacarandá. A jovem embarcou no veículo com o filho e sentou-se no banco de trás.

Durante o caminho, o motorista começou a perguntar se ela tinha informações sobre como “apimentar” relações sexuais. A adolescente ficou assustada e disse que não. No meio do trajeto, a vítima percebeu que ele desviou o caminho. Foi quando o motorista perguntou se a adolescente queria “ver” uma coisa. Mesmo com ela dizendo não, ele insistiu dizendo que “você que é dessa cor gosta”, e tirou o pênis para fora. “Você que é dessa cor tem que fazer comigo” e ameaçou a menina “agora você vai ter que se ver comigo”. Logo depois ele continuou o caminho e deixou a jovem em casa.

A adolescente desceu do veículo chorando e traumatizada com o ocorrido, ligou para o esposo que acionou a Polícia Militar.

Chegando ao local, os militares identificaram o veículo e o encontraram no bairro Cristo Rei. O homem foi preso em flagrante, mas negou o crime.

O caso será investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso de Várzea Grande.