DÍVIDAS

A “guerra” na Saúde continua

 

O método utilizado pela Intervenção quando assumiu o comando da Secretaria de Saúde de Cuiabá, em priorizar o pagamento de fornecedores e prestadores de serviço nos contratos com a nova administração, agora tem o modo reverso em execução.

A secretaria de Saúde municipal está pondo na fila os credores dos contratos executados durante a Intervenção.

Um exemplo é o HCan de Mato Grosso, que reclama repasses atrasados.

O secretário de Saúde de Cuiabá, Deiver Teixeira, sob pressão para quitação dos débitos e com a perspectiva de suspensão do atendimento por parte do HCan/MT,  contestou o valor da dívida, mas foi claro ao dizer que o devido referente à janeiro R$ 3,5 milhões foi quitado e o que foi “herdado” da Intervenção, mesmo sendo menor que o reclamado pela direção do hospital, por falta de recursos, será parcelado em duas vezes com previsão para pagamento parcial em 20 de fevereiro.

Isso em se tratando do hospital referência em tratamento de câncer no Estado, imagine os pequenos fornecedores.