Baixada Cuiabana registra aumento no número de mortes em casa

Os dados de janeiro a julho mostram crescimento nas mortes em residências por causas naturais na Baixada Cuiabana, fator que pode estar ligado à onda de calor deste ano. Segundo dados da Central 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Cuiabá, foram 531 óbitos nesse período de tempo em 2019, contra 728 este ano.

Os números de agosto e setembro de 2020, meses em que as temperaturas subiram ainda mais na cidade, frequentemente passando dos 40º, não estão consolidados, mas a tendência também é de aumento nesses tipos de mortes.

Os idosos estão entre os grupos mais vulneráveis. Em Rondonópolis (a 210 km de Cuiabá), pelo menos 35 idosos morreram dentro de casa por complicações provocadas pelo calor.

Especialistas alertam que nesses períodos de calor extremo é preciso beber mais água, vestir roupas leves e evitar comidas pesadas.