Entenda como será o reordenamento das escolas estaduais para 2021

Quinze escolas da rede estadual de ensino, do total de 759, passarão por redimensionamento de suas utilizações. Entre os aspectos para a mudança estão salas ociosas, locais precários, prédios sucateados e alugados. A mudança também visa melhores indicadores do desempenho da aprendizagem, com realocação dos estudantes para unidades com índices mais elevados.

O reordenamento das estruturas físicas de educação inclui a cessão de uso das atuais escolas aos municípios, transferência de alunos para outras unidades e entrega dos prédios alugados pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Nos casos da cessão aos municípios, o Governo dará todo suporte, inclusive financeiro.

“Volto a reforçar que o boato de fechar escolas é fake news. Não pactuamos com essas mentiras e já tomamos providências. A mudança nas unidades, acompanhada de conteúdo pedagógico inovador, é para melhorar as condições de aprendizagem dos nossos estudantes”, explica o secretário Alan Porto.

Ele prevê ainda como foco principal na educação pública de Mato Grosso a melhoria da área pedagógica, como finalidade de fortalecer o ensino. Na prática significa realizar uma gestão educacional com as melhores medidas reconhecidas no Brasil e em outros países, adaptadas para a realidade local.

Para isso serão investidos mais de R$ 450 milhões na área pedagógica, além de R$ 442 milhões em obras para dotar as escolas com inovação tecnológica e conforto, propiciar formação sólida aos jovens para o mercado de trabalho e criar indicadores de avaliação permanentes, além de formação continuada dos educadores. Ao final de todo o processo, a meta é melhorar resultados na aprendizagem e no desempenho da educação no Estado de Mato Grosso.

“O que precisar ser feito para melhorar e ter qualidade na educação em Mato Grosso, nós vamos fazer. É o foco do Governo e estamos com nossa equipe na Seduc empenhada para fazer essas entregas”, afirma o secretário Alan Porto.

Fonte: Assessoria