Nota revela atual estado de saúde do Policial atropelado em Cuiabá

A Polícia Militar do estado do Mato Grosso soltou na tarde desta segunda-feira (11) uma nota para a imprensa onde revelada o atual estado do policial Claudecy Conceição da Costa, de 35 anos, que foi atropelado na porta do Shopping Três por um motorista embriagado.

“O soldado da Polícia Militar foi transferido do primeiro hospital particular onde deu entrada logo após o acidente para o HMC (Hospital Municipal de Cuiabá), onde na madrugada de hoje (11) passou uma cirurgia na perna direita.
De acordo com o próprio policial, em conversa por telefone, os médicos constaram que não havia fratura na perna, mas um corte grande e muito profundo que deixou o osso exposto.
A cirurgia foi tranqüila e ele permanecerá em internação hospitalar por pelo menos uma semana.” Revelou.
Claudecy ingressou na PMMT em 2011 e está lotado no 10º Batalhão, em Cuiabá.

O CASO

O policial militar Claudecir Conceição, de 45 anos, foi atropelado por um carro na Avenida Brasília, no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá, no domingo (10). Uma câmera de segurança do Shopping Três Américas flagrou o momento em que o militar é atingido por um veículo da marca Nissan March.

Nas imagens, aparecem a vítima, segurando o filho no colo, e a esposa indo em direção ao carro da família, um Ford Fiesta que estava estacionado.

A mulher entra no banco do passageiro e o PM abre a porta traseira para colocar a criança na cadeirinha de transporte. Enquanto ele ajeitava o menino, um motorista perde o controle da direção e atinge o policial. Em seguida, o veículo bate em um poste no canteiro central.

O PM teve uma fratura exposta na perna e foi encaminhado pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o Hospital São Camilo onde foi submetido a uma cirurgia.

O acusado, que tentou foragir do local do acidente e foi impedido por testemunhas, acabou preso em flagrante pela Delegacia Especializada em Delitos de Trânsito (Deletran).

No exame do bafômetro, foi constatado que ele tinha 0,42% de concentração alcoólica no organismo o que, segundo a lei, já é caso para prisão.