NO INTERIOR

Homem que matou esposa por recusar bebida é condenado a 30 anos de prisão

A justiça de Mato Grosso condenou Petronio Aziano da Silva, a 30 anos e 8 meses de prisão por matar a facadas sua esposa Renata Oscar de Castro em um bar de Querência (945 km a nortes de Cuiabá) há dois anos.  A sessão de julgamento ocorreu na última terça-feira (02) pelo Tribunal do Juri.

 

Os jurados reconheceram que o homicídio de Renata de Castro foi praticado por motivo torpe, meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, por razão da condição do sexo feminino (violência doméstica e famíliar).

O condenado e a vítima Renata conviviam maritalmente e ela trabalhava em um bar.

“Enciumado com o fato de a vítima trabalhar até tarde da noite, servindo bebida para outros homens, nutrido por sentimento de posse, o denunciado passou a implicar com
ela. Então, no dia do ocorrido, ele solicitou uma bebida, momento em que ela disse para aguardar, pois atenderia primeiro os clientes, bem como solicitou que fosse mais educado. Diante da negativa, o denunciado se exaltou e disse ‘espera aí sua vagabunda; foi até a cozinha, se apossou de uma faca, retornou, agarrou a vítima pelo pescoço e passou a desferir sequenciais golpes”, narra a denúncia.

Outras pessoas que tentaram intervir e foram golpeadas

O caso

A vítima trabalhava em um bar e por chegar tarde em casa e ter contato com outros homens no serviço deixava o marido com ciúmes. Certo dia, Petronio foi até o estabelecimento e exigiu que a mulher trouxesse uma bebida.

Neste momento, a mulher pediu para que o marido aguardasse ela atender outros clientes e também pediu para que o esposo fosse mais gentil. O homem ficou exaltado, xingou a mulher e pegou uma faca na cozinha.

Petronio então desferiu golpes de faca na vítima. Neste momento, Joice e Antônio tentaram impedir, mas também foram esfaqueados. Por conta das facadas, Renata não resistiu e morreu.