IFMT afasta servidores envolvidos na Operação Circumitus

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) emitiu uma nota nesta segunda-feira (26) e disse que irá requisitar uma auditoria interna, após a ‘Operação Circumitus’, deflagrada pela Polícia Federal, com objetivo de investigar desvios na ordem de R$ 4,8 milhões. Além disso, os servidores acusados de envolvimento foram afastados de suas funções.

As investigações tiveram início a partir de trabalhos internos da CGU que identificaram pagamentos de notas fiscais de possível fornecimento de gêneros alimentícios no mês de janeiro de 2020 para alimentação escolar, sendo que neste período os alunos estavam em período de férias escolares no IFMT de Campo Novo do Parecis.

No decorrer das investigações foi possível constatar que os referidos gêneros alimentícios não foram entregues pelas empresas contratadas, porém foram pagos integralmente.

Diante dos fatos, a CGU iniciou trabalho de auditoria em outros pagamentos e identificou indícios de irregularidade também em um contrato de manutenção preventiva da infraestrutura do campus.

Outros elementos informativos evidenciaram as referidas irregularidades procedimentais em relação a contratos para obras de engenharia.