Justiça condena Aprosoja por plantio fora de época

O juiz Rodrigo Roberto Curvo, da Vara Especializada do Meio Ambiente de Cuiabá, condenou a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), o presidente da entidade Antônio Galvan e o filho dele, Albino Galvan Neto, ao pagamento de R$ 213 mil por dano ambiental.

A decisão é referente ao plantio experimental de soja feito na Fazenda de propriedade de Antônio e Albino, fora do período permitido – o chamado vazio sanitário.  A ilegalidade foi apontada em uma ação civil pública do Ministério Público Estadual (MPE).

Na decisão, o magistrado ainda determinou a perda do produto advindo do plantio irregular, no total de 44 toneladas. Os valores fixados deverão ser recolhidos ao Fundo Estadual do Meio Ambiente.