CNJ mantém proibição de reeleição no Tribunal de Justiça de Mato Grosso

O Pleno do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) já formou maioria ampla para manter suspensa a eleição para a presidência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. O julgamento ocorre virtualmente e se encerra nesta sexta-feira (29).

Até o momento, 12 conselheiros acompanharam o voto do relator, Marcos Vinícius Jardim Rodrigues, totalizando 13 votos pela suspensão.

O Pleno do CNJ é composto por 15 integrantes. Restam votar apenas  os conselheiros Henrique Ávila e Maria Tereza Uille Gomes.

Marcos Rodrigues suspendeu, monocraticamente, a eleição no dia 6 de outubro.

Na ocasião, ele acolheu um procedimento proposto pelo desembargador Sebastião de Moraes Filho, contra a resolução que permite a reeleição do atual presidente do TJ, desembargador Carlos Alberto da Rocha.

Com a eleição suspensa, CNJ irá decidir se derruba ou não os efeitos da resolução que permite a reeleição no Judiciário mato-grossense.