SEM DOCUMENTOS

Jovem que morreu em pátio da central de flagrantes aguarda identificação no IML

O corpo do jovem que morreu na manhã do último domingo (7), no pátio da Central de Flagrantes de Várzea Grande aguarda identificação no Instituto Médico Legal (IML), uma vez que ele estava sem documentos. A reportagem apurou junto ao IML as características do jovem com o Coordenador de perícias em Mortos do IML de Cuiabá, Valter Ferrari.

Segundo as informações repassadas o corpo do homem é pardo e ele aparentava ter de 25 a 30 anos. Ele vestia um short azul, usava um cinto de tecido preto, camiseta verde e estava sem sapatos. Seu cabelo é curto e crespo. Uma outra informação que pode ajudar na identificação é uma cicatriz nos pulsos e um curativo de pontos recente, que nao estava cicatrizada, no supercílio. Ele não tinha tatuagens.

O CASO

A morte ocorreu por volta das 8h30. As informações preliminares dos socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atenderam a ocorrência, é que ele tenha sofrido uma overdose. Como ele não estava com documentos, não foi possível fazer a identificação.

O homem havia sido preso pela Polícia Militar após causar transtornos na loja Havan. Segundo informações, a vítima estava transtornada e tentando se jogar na frente dos carros na Avenida da FEB.

A Polícia Militar foi acionada. Ele foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e depois à delegacia.

Durante o procedimento de registro do boletim de ocorrência, ele passou mal e morreu.

O Samu foi acionado, mas ao chegarem no local foi constatado a morte.

Exames preliminares apontaram que o nível de glicose estaria muito baixo, aparentando que não teria se alimentado por vários dias.

A Perícia Oficial esteve no local e o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) onde passará por exames de necropsia que apontara a causa da morte.